Entenda como é o curso de matemática

Se você procura oportunidades em um mercado em constante evolução e com empregabilidade praticamente garantida, está no texto correto. Neste artigo, você vai saber como é o curso de matemática e entender sobre uma das profissões mais valorizadas e com mais vagas à disposição. Basta uma rápida busca no site Linkedin, por exemplo, para ter acesso a mais de duas mil vagas de emprego para matemáticos.

No entanto, antes de conquistar uma dessas oportunidades profissionais, é preciso encarar o curso de matemática. Serão pelo menos quatro anos de muita dedicação. Além dos cálculos, você terá que desenvolver raciocínio lógico e entender conceitos que superam os números.

Se você gosta de ensinar, também pode se identificar com essa profissão. Afinal, os matemáticos estão presentes em quase todas as salas de aula e têm uma missão importante: ajudar a diminuir um índice muito preocupante para o Brasil. É que uma pesquisa revelou que os alunos estão saindo da escola sabendo menos do que os estudantes formados há uma década.

Sendo assim, se você gosta de desafios, leia esse texto até o final e entenda melhor como é o curso de Matemática e quais oportunidades você terá pela frente.

Como é o curso de Matemática na faculdade?

Para iniciar a carreira é preciso escolher muito bem a sua graduação. Para isso, é importante você saber que existem duas opções: a licenciatura e o bacharelado em Matemática. A primeira opção vai preparar você para lecionar no ensino fundamental e médio. Dessa forma, durante os quatro anos de graduação você vai estudar disciplinas ligadas a educação, como didática e pedagogia. No entanto, a licenciatura também abre portas para quem quer entrar em um concurso público.

Já o bacharelado vai formar você para trabalhar com qualquer aplicação da matemática em diversas áreas, como a computação. Isso porque o curso habilita você para elaborar modelos matemáticos e lógicos, selecionar métodos e técnicas e desenvolver fórmulas e teses para aplicações práticas.

Assim como quase todos os cursos de graduação, a Matemática também está nas modalidades online e presencial. Então, existe a facilidade de você estudar a distância ou enfrentar a rotina de uma faculdade de matemática e passar os quatro anos convivendo com outros universitários. Lembrando que o diploma obtido em um curso a distância e reconhecido pelo MEC vale tanto quanto o presencial.

Disciplinas da universidade de matemática

No caso do Bacharelado em Matemática, você terá que dominar assuntos como:

  • História da matemática;
  • Introdução ao cálculo;
  • Língua portuguesa;
  • Matemática básica;
  • Planejamento de carreira e sucesso profissional;
  • Cálculo;
  • Fundamentos de álgebra;
  • Fundamentos de análise;
  • Metodologia científica;
  • Algoritmos;
  • Análise estatística;
  • Cálculo diferencial e integral;
  • Construção geométrica;
  • Cultura empreendedora;
  • Direito ambiental;
  • Economia matemática;
  • Estatística;
  • Ética e responsabilidade social;
  • Física teórica.

No entanto, se você escolher a licenciatura, também terá que estudar alguns conceitos como:

  • Aspectos antropológicos e sociológicos da educação;
  • Da educação de jovens e adultos e educação popular;
  • Políticas públicas e organização da educação básica;
  • Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem;
  • Tendências em educação matemática;
  • Educação especial;
  • Gestão escolar: teoria e prática;
  • Informática em educação matemática;
  • Planejamento escolar e avaliação da aprendizagem;
  • Prática de ensino em matemática;

O mercado de trabalho

Agora que você já entendeu como é o curso de matemática, é importante compreender que existem muitas possibilidades de atuação. Considerando a carência atual de professores tanto no ensino público como privado, a formação pedagógica abre um leque de possibilidades.

Com a licenciatura, você poderá atuar no ensino básico, empresas, ONGs e muitos outros locais que ajudam no reforço escolar de estudantes. Sendo assim, realizar a formação pedagógica é quase uma garantia de emprego e de crescimento na carreira.

No entanto, se a sua missão não é ensinar, sem problemas. Dá para trabalhar com economia e mercado financeiro no gerenciamento de investimentos de clientes; na produção para evitar desperdícios e gerenciando a cadeia de suprimentos e modelagem de sistemas de produção; nas ciências computacionais criando algoritmos para software e até na biomatemática para quantificar a leitura de imagens de ultrassonografia, por exemplo.

Média salarial

Assim, levando em consideração como é o curso de Matemática e todas as possibilidades de emprego, vale destacar o salário oferecido no mercado de trabalho. Saiba que um matemático ganha, em média, R$ 7.403,61 e tem uma jornada de 41 horas semanais, de acordo com pesquisa do site www.salario.com.br. A faixa salarial deste profissional fica entre R$ 5.500,00 e R$ 11.188,56, levando em conta profissionais contratados com carteira assinada em regime CLT.

Ou seja, são bons salários e você ainda pode aumentar os ganhos se investir em uma especialização. O Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo, por exemplo, oferece algumas opções de forma gratuita. Existe o curso de Mestrado e o de Doutorado.

A USP tem uma infraestrutura que inclui laboratórios de informática, salas de estudo e uma biblioteca com grande acervo em matemática. Para isso, oferece anualmente um número grande de disciplinas – entre 23 e 30 – que se distribuem nas áreas de concentração do programa. Além disso, existe a possibilidade de você receber para fazer uma das especializações por meio de bolsas de estudo.

Matemática e seu contexto social

Se você se interessou pela carreira, mas ainda não sabe por que fazer Matemática, preste atenção nas próximas informações. Aqui, você vai entender não só como é o curso de matemática, mas saberá também que ele é importante para formar novos cidadãos e está inserido em um contexto social.

Dados divulgados pelo movimento Todos pela Educação e amplamente repercutidos pela imprensa nacional, revelam que o aprendizado de matemática dos estudantes do 3º ano do ensino médio caiu 0,7 ponto percentual no Brasil entre 2007 e 2017. Sendo assim, podemos concluir que os estudantes estão aprendendo menos sobre matemática do que há uma década. Nas escolas públicas, a queda foi ainda maior: 4 pontos.

Em 2007, os índices do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) mostravam que apenas 9,8% dos estudantes no 3º ano do ensino médio apresentaram o aprendizado adequado dos conteúdos em matemática. E o que estava ruim, ficou pior. Em 2017, esse índice caiu para 9,1%.

Só com esses números você já pode ter uma ideia do desafio e, principalmente, da importância de formar bons professores de matemática. É uma demanda existente para ajudar na construção de uma sociedade mais crítica e analítica.

Para se ter uma noção, nas escolas que concentram alunos de menor renda, apenas 3,1% aprenderam a matemática corretamente, de acordo com o levantamento do Saeb. Agora, se a gente considerar os alunos que se declaram pretos, apenas 4,1% aprenderem o conteúdo esperado na disciplina; pardos, 5,7% e brancos, 16%.

Então, além de entender como é o curso de matemática, é importante você levar em consideração que terá um papel fundamental no desenvolvimento de uma sociedade cada vez menos interessada e apta para aprender uma disciplina tão importante.

Quais as melhores faculdades de matemática?

Se você já entendeu como é o curso de matemática e todas as possibilidades do mercado de trabalho, mas está confuso sobre qual instituição seguir, preste atenção nessas dicas. O RUF (Ranking Universitário Folha) é uma avaliação anual do ensino superior do Brasil feita pela Folha de São Paulo. No ranking de universidades estão classificadas as 196 universidades brasileiras, públicas e privadas, a partir de cinco indicadores: pesquisa, internacionalização, inovação, ensino e mercado.

Com esses dados, você pode ter uma ideia das instituições de ensino do país com os cursos de matemática melhor avaliados e, então, direcionar os esforços e estudos para um dos vestibulares. Veja as dez melhores universidades classificadas em 2018:

1º  Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

2º Universidade de São Paulo (USP)

3º Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

4º Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

5º Universidade de Brasília (UNB)

6º Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

7º Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)

8º Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)

9º Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO)

10º Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Ficou com alguma dúvida ou quer buscar novas possibilidades de carreira? Então, acesse o blog Vai de Bolsa e aproveite!

 

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *