Por que o ensino a distância é o que mais cresce no Brasil?

A flexibilidade de horário para os estudos e o custo acessível são as principais razões pelas quais as pessoas estão buscando, cada vez mais, o ensino a distância. Com uma oferta maior de cursos EaD, fazer uma graduação ou pós-graduação deixou de ser privilégio de quem tem recursos ou vive em grandes centros, onde há mais oportunidades.

Poder estudar no horário que se encaixa na sua agenda, no ambiente mais conveniente e sem precisar ficar preso no trânsito são algumas das grandes vantagens do ensino a distância. Além disso, o custo mais acessível é um fator que torna mais atraente a escolha dessa modalidade de ensino. Saiba, a seguir, um pouco mais sobre esse mercado em expansão no País.  

 

Fator de crescimento do ensino a distância: uma opção que cabe no bolso

 

O valor das mensalidades de um curso EaD pode ficar até 65% mais baixo do que o dos cursos com aulas presenciais nas instituições de ensino superior. De acordo com o censo da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), o valor médio das mensalidades de cursos de ensino a distância caiu, em média, de R$ 348,00 em 2012 para R$ 279,00 em 2017.

A tecnologia que serve de base para esses cursos favorece o ganho de escala e, consequentemente, derruba os preços das mensalidades. Com os cursos EaD, um professor pode atingir um número muito maior de alunos do que se desse a mesma aula em uma sala de aula física. Assim, não é à toa que, atualmente, o ensino a distância é o que mais cresce no País.

A pesquisa mais recente divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) registra que 1,5 milhão de pessoas estudam a distância no Brasil, número que pode ser ainda maior hoje, já que esses dados são de 2016.

De qualquer forma, apenas esse indicador já mostra o crescimento do ensino a distância no País. O número citado representa 18,6% do total de matrículas no ensino superior. Para se ter uma ideia, em 2004 eram 60 mil alunos de ensino a distância, o que representava, na época, 4,2% do total dos estudantes no ensino superior.

O interesse dos alunos no ensino a distância tem crescido gradativamente no Brasil. Apenas entre 2015 e 2016, o número de matriculados nesses cursos aumentou 21,4%. Esse crescimento fez com que a procura pelo ensino a distância representasse 28% dos novos alunos de graduação. Em contrapartida, o número de estudantes em cursos presenciais caiu 3,7% no mesmo período.

 

A evolução dos cursos de ensino a distância

 

Os primeiros cursos de ensino a distância que foram oferecidos no Brasil eram de Pedagogia, focados na formação de professores. Atualmente, a abrangência das áreas do conhecimento desses cursos é bastante ampla: vai da área de saúde até as ciências humanas, passando pelas engenharias e demais áreas.

Um grande impulso para o ensino EaD foi o decreto que regulamenta o ensino a distância no Brasil publicado em 2017. Desde então, as aulas do ensino médio – como a educação profissional e técnica – podem ser oferecidas na modalidade a distância, assim como a educação de jovens e adultos e a educação especial. Ou seja, hoje o ensino a distância não se restringe apenas ao ensino superior.

Outra novidade da legislação foi permitir a criação de polos de ensino a distância pelas próprias instituições. Com isso, o credenciamento na modalidade EaD deixou de exigir que a unidade de ensino ofereça aulas presenciais no mesmo curso que a instituição deseja oferecer ensino a distância.

Por causa dessa mudança na legislação, o número de instituições que oferecem ensino a distância cresceu significativamente no País em cerca de um ano. Com a regulamentação, a quantidade de polos EaD aumentou 133% entre maio de 2017 e julho de 2018.

 

Qualidade do ensino a distância: outro fator que incentiva o crescimento desta modalidade

 

Ao procurar uma instituição de ensino superior que ofereça aulas a distância, procure se informar bem sobre o histórico da universidade para conseguir as melhores opções. Verifique, por exemplo, se você terá condições de fazer o curso totalmente a distância ou conseguirá fazer parte das aulas de forma presencial.

Conheça as diferentes formas de tutoria e veja qual se encaixa melhor no seu perfil. Avalie a qualidade dos materiais oferecidos pelas universidades e/ou escolas e também confira os formatos de aprendizado, se são oferecidos conteúdos em vídeo, áudio, texto e de que forma é possível interagir com outros estudantes e com os professores.

O Ministério da Educação é o responsável por credenciar as instituições de ensino que podem oferecer cursos na modalidade EaD. Fique atento a esse credenciamento ao escolher um curso de ensino a distância. Busque informações sobre a reputação das instituições de ensino antes de se matricular.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep) realiza avaliações da qualidade dos cursos com base nos dados do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). É possível fazer a consulta da nota da instituição no site emec.mec.gov.br. Procure essas informações e aproveite essa modalidade de ensino em alta no País para fazer a sua qualificação e avançar nos seus estudos!

 

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *