Quando eu devo começar a estudar para o Enem?

 

Considerado atualmente como um dos principais meios de acesso ao ensino superior no Brasil, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é aguardado com ansiedade e preocupação por muitos estudantes do ensino médio. Mesmo para quem está começando essa etapa, é difícil não pensar no momento em que tudo aquilo que está sendo aprendido vai ser posto à prova, em um exame superconcorrido – em 2018, 5,5 milhões de estudantes se inscreveram para prestar o Enem.

Uma pergunta comum que surge para estudantes e pais diz respeito a quando, afinal, é o momento certo de mergulhar de cabeça nos estudos? Quando o aluno deve começar a estudar para o Enem durante o ensino médio para garantir um bom desempenho no exame? Vale a pena se preocupar com isso já no primeiro ano? Deixar para o último ano é viável? Se você também tem dúvidas, acompanhe abaixo algumas dicas de como se planejar para o tão temido e esperado Enem.   

 

Como estudar para o Enem no primeiro ano do ensino médio

 

O Enem serve como um meio de avaliar o desempenho dos alunos e do sistema educacional como um todo durante os três anos do ensino médio, além, é claro, de funcionar como uma porta de entrada para os cursos de graduação.

Vale a pena lembrar disso porque as questões do Enem vão discutir assuntos apresentados durante os três anos do ensino médio. Ou seja, os estudantes que estão começando essa etapa ainda não terão a base necessária para discutir assuntos que só vão aparecer lá no final do segundo ou terceiro ano. Por isso, começar a fazer simulados do Enem no primeiro ano ou se preocupar demais com o exame possivelmente só vai gerar ansiedade e frustração nesse momento.

Dessa forma, o mais recomendado é usar o primeiro ano para criar uma rotina de estudos que possa ser intensificada nos anos seguintes, conforme a data do Enem se aproximar. Assim, no primeiro ano você deve se preocupar em desenvolver um bom plano de estudos, organizar suas tarefas do dia a dia e disciplinar-se para estudar em todos os dias da semana.

Esse plano de estudos irá ajudá-lo a encarar o primeiro ano com mais facilidade, mas também será um “esquenta” para a rotina de estudos que, inevitavelmente, terá de ser mais intensa no último ano do ensino médio. Afinal, uma das principais dificuldades que muitos encontram no ano do Enem é se adequar, de uma hora para outra, às várias horas de estudos diários que o exame necessita.

 

Como estudar para o Enem no segundo ano do ensino médio

 

A partir do segundo ano, o estudante já pode começar a se preparar melhor para o Enem, focando parte de seus estudos no exame. Na internet, é fácil achar listas dos assuntos que são mais recorrentes na prova. Fazer simulados e baixar as provas dos anos anteriores é outra maneira de ir se familiarizando com o exame.

Muitos estudantes, inclusive, se inscrevem para fazer o Enem no final do segundo ano do ensino médio como “treineiros”. Aqueles que ainda não completaram 18 anos na data da prova e que vão concluir o ensino médio só no fim do ano seguinte podem participar das provas normalmente ao lado dos candidatos “oficiais”. A diferença é que o desempenho dos “treineiros”, por melhor que seja, não vale para garantir uma vaga na universidade, e as notas são divulgadas 60 dias depois.

Fazer o Enem nesse momento é uma forma interessante de se ambientar à prova, que exige atenção e planejamento para responder a todas as questões nas poucas horas ofertadas e ao lado de dezenas de outros estudantes – o que, convenhamos, é uma experiência muito diferente de responder a simulados no sofá de casa.

Durante o segundo ano, é essencial se acostumar a incluir revisões em sua rotina de estudos, independentemente de já estar pensando no Enem ou apenas preocupado em garantir boas notas no colégio. Isso porque pesquisas comprovam que é necessário voltar periodicamente a um mesmo assunto para evitar que a nossa memória simplesmente se esqueça do que foi aprendido.

 

Como estudar para o Enem no terceiro ano do ensino médio

 

O ano do Enem chegou e, com ele, vem a ansiedade e o nervosismo tão comuns para estudantes que estão prestes a encarar o exame. A recomendação mais óbvia, mas que parece sempre necessário reforçar, é antecipar os estudos desde o início do ano ao invés de mergulhar de cabeça só no segundo semestre ou nos meses anteriores à prova.

Se você se acostumou a seguir um plano de estudos à risca desde o primeiro ano do ensino médio, meio caminho já está andado. O importante agora é intensificar esses estudos, focando nos temas que são mais comuns de aparecerem no Enem. No entanto, isso não significa necessariamente estudar mais horas por dia, mas sim se dedicar 100% aos estudos nas horas que você tiver à sua disposição.

A essa altura, é muito provável que você já tenha uma boa noção de quais disciplinas e assuntos são seus pontos fracos. A saída, portanto, é priorizar esses temas, dedicando mais tempo a eles e aproveitando os professores, seja do colégio ou do cursinho, para tirar dúvidas.

Outra estratégia essencial será antecipar qual curso de graduação você deseja fazer e onde e, a partir dessas escolhas, descobrir quais as disciplinas em que será preciso alcançar uma maior pontuação e quais as notas de corte.

Por fim, não esqueça de dedicar um bom tempo dos estudos à redação, praticando bastante sua capacidade de colocar ideias no papel – é fato que tirar uma ótima nota na redação do Enem tem mais peso na média final do que acertar todas as questões objetivas do exame. 

 

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *